ACEITAÇÃO & PRECIFICAÇÃO

São palavras de natureza técnica e não tão usuais ou do entendimento de todos, mas acreditem, possuem um papel importante na vida de um corretor de seguros.    Para o consumidor em sua relação de consumo diário, importa saber qual é o preço e avaliar se pode ou não pode, se deve ou não deve adquirir algo. Os fatores que estão por de trás do preço pouco importam – ou importam?

Guardadas proporções e obstáculos que ainda existem em relação ao consumo, é necessário avançarmos um pouco mais – afinal de contas, diz o bom ditado, preço não é tudo. Os fatores de custo são muitos e se não forem bem analisados ou avaliados corretamente corremos o risco de não fazermos a compra com o melhor custo/ benefício.  Ah, então importa saber o que ou quem está por de traz do preço? Afinal essa é uma decisão pessoal que só você poderá atestar de verdade se foi a melhor.      

O Poder de compra está diretamente ligado a sua capacidade de pagar alguma coisa, melhor dizendo:

Você será sempre o astro, a autoridade máxima do seu próprio consumo.

Mas é exatamente neste aspecto que reside o perigo. Quando você se importa exclusivamente em obter o menor preço do mercado, esquecendo ou não considerando que existem outros fatores que influenciam no preço, corre risco. Para ser mais pragmático, é necessário ponderar as próprias variáveis e a(s) qualidade(s) que procura no produto que você está adquirindo.

Na minha profissão de Corretor de Seguros utilizamos muito o gerenciamento de risco, ou seja, a capacidade para interpretação e demonstração da qualidade do risco que estou colocando para a seguradora aceitar e precificar – o melhor custo/benefício.

Percebeu que há algo a mais na questão. Não estou afirmando que o preço não é importante, mas sim dizendo que há fatores de risco que precisam vir a tona para serem analisados, caso contrário você poderá estar perdendo benefícios diretos e indiretos na contratação e ou  comprometendo-se lá na frente,  na liquidação de um sinistro (acidente) de uso-fruto ou de sua responsabilidade (terceiro).  Ufa! consegui te intrigar: era o mínimo que eu almejava, tornar o assunto interessante ao seu reinado de consumidor.

Ao longo dos meus 33 anos de carreira como corretor empresário ou sócio proprietário de corretora de seguros, jamais tinha recebido a visita da Vigilância Sanitária de São José do Rio Preto, e olha que já estivemos em sete endereços diferentes neste período. Vieram duas senhoras representando a instituição que estavam munidas de informações que foram cadastradas junto ao Ministério Público do Trabalho – MPT, quando da nossa adesão ao Plano de Redução de Jornada de Trabalho (Medida Provisória nº 936/2020 de 01.04.2020). Vira constatar Recomendação MPT nº 3945/2020 encaminhadas para o nosso conhecimento.

Chamou nossa atenção o fato de que ao apresentarmos um Laudo Técnico de Manutenção dos Aparelhos de Ar-Condicionado, elaborado por uma Empresa especializada, as senhoras disseram que não valia, pois deveria ter sido elaborado por Engenheiro CREA, especializado, com devido recolhimento da Art.  Tomei um susto, pois não sabia desta pontual exigibilidade. Neste momento recordei das inspeções e ou recomendações das seguradoras aos nossos segurados, cujo tema principal sempre foi a qualidade de medidas e equipamentos protecionais instaladas:  

  • Nota Fiscal de Recarga anual dos Extintores;
  • Laudo Teste Hidrostático nas Mangueiras dos Hidrantes;
  • Laudo de Manutenção do(s) Compressor(s).      

Esses três elementos são os mais solicitados pelas seguradoras e visam demonstrar a qualidade do risco e facilitar a aceitação, bem como, reduzir a taxa do seguro e/ou aumentar o desconto técnico concedido para apresentar uma boa precificação. Novos tempos, novo coronavírus/COVID-19, mais uma vez o infortúnio social oxigenando sistemas e processos.

Como ocorrido em outras calamidades e guerras temos oportunidade para nos convencer que é preciso e possível melhorar nossas práticas para atingir novas metas de desenvolvimento. Para você meu amigo consumidor ou proprietário de um comércio, serviço ou indústria, fica a informação que muito mais que uma exigência do seguro, é necessário avançarmos na manutenção e qualidade dos processos de produção e proteção, a qualquer nível.             

Shirtes Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *